Cassilandia Jornal

notícia publicada em 21/09/2012 �s 09:23:40

Corumbá comemora aniversário de 234 anos nesta sexta-feira
 
Cassilândia Jornal   
 Cr�ditos da Foto: Município foi fundado em 1778 para impedir avanços dos espanhóis pela fronteira (Foto: João Garrigó/Arquivo) 
Corumbá está em festa nesta sexta-feira (21). O município comemora 234 anos de fundação com extensa programação para celebrar seu aniversário.

O desfile cívico abre as festividades na Praça Generoso Ponce, às 16h. No mesmo local haverá show pirotécnico, às 20h45, seguido pela Seresta Especial “Corumbaenses Cantam Corumbá”. As atrações são Hermes e Henrique (Marinho Azevedo), Sedução, Stação 4 e Maike Viola e Banda.

As comemorações continuam no sábado com o City Tour, a partir das 9h, saindo da Escola Municipal Clio Proença.

Às 19h, acontece o Encontro de Corais, no Centro de Convenções do Pantanal Miguel Gómez, com Coral do Moinho Cultural Sul Americano, Coral Infanto Juvenil (da Escola Tenir), Coral Jubilosos de Sião (Assembleia de Deus) e Coral Cidade Branca.

A noite de sábado termina com o show do M16, às 21h, na Praça Generoso Ponce.

No domingo (20) tem mais festa. Às 17h, tem o Por do Sol Especial com atrações do Samba Carioca e Dj Leo. A segunda-feira (24) termina as comemorações com o show gospel na Praça Generoso Ponce, às 20h, com a banda nacional Livres para Adorar.


Histórico – Com o nome de origem tupi-guarani Curupah, que significa lugar distante, Corumbá é conhecida como Cidade Branca, em referência à cor clara de seu solo. A ocupação da região teve início ainda no século XVI quando, com a expectativa de encontrar ouro, a área do atual município foi explorada pelos portugueses, que começaram a chegar em 1524.

Fundado em 1778 para impedir os avanços dos espanhóis pela fronteira brasileira em busca do mineral precioso, o Arraial de Nossa Senhora da Conceição de Albuquerque, se transformou no principal entreposto comercial da região.

Quando a passagem de barcos brasileiros e paraguaios pelo Rio Paraguai foi liberada, e devido à importância comercial que passou a ter, a localidade foi elevada a distrito em 1838 e, em 1850, a município.

Durante a Guerra do Paraguai, entre 1864 e 1870, a Freguesia de Santa Cruz de Corumbá foi palco de uma das principais batalhas do conflito, sendo ocupada e destruída por tropas de Solano Lopes, em 1865. A partir de 1870, retomada pelo tenente-coronel Antônio Maria Coelho, a cidade começou a ser reconstruída.


Na mesma época, imigrantes europeus e de outros países sul-americanos chegaram, impulsionando o desenvolvimento local. Resultado, Corumbá foi o terceiro maior porto da América Latina até 1930.

Até a década de 1950, os rios Paraguai, Paraná e Prata eram os únicos meios de integração da região. A cidade vivia sob a influência dos países da Bacia da Prata, herdando grande parte dos seus costumes, hábitos e linguagem.

A chegada da Estrada de Ferro Noroeste do Brasil no início do século XX, porém, se deslocou o eixo comercial do sul do Estado, então Mato Grosso, para Campo Grande. Os comerciantes locais mudaram para outras cidades e Corumbá passou a priorizar comercialmente a exploração mineral as atividades rurais, como a agropecuária.

A cidade iniciou as atividades industriais na década de 1940, com a exploração das reservas de calcário, excelente para a indústria do cimento, e de outros minérios. No fim dos anos 1970, o turismo passou a ser explorado. Com o Pantanal ocupando 60% de seu território, Corumbá passou a ser chamada de Capital do Pantanal.


Fonte: Gabriel Neris - Campo Grande news

Comentários
 Mais notícias
 
PSB da posse a novos membros do diretório municipal em Cassilandia (v. 80)
 
Cassilândia deverá receber unidade do Corpo de Bombeiros (v. 70)
 
‘Mexeram com um político que nunca roubou’, diz Lula à Lava Jato (v. 95)
 
Resultado das Loterias (v. 92)
 
Beija Flôr choca um novo ciclo da vida (v. 89)